PARCERIA MEUSLINKS

Siga Também no Google+

Gostou do blog? Então Participe!

Top 5 Postagens Mais Populares da Última Semana

terça-feira, 8 de junho de 2010

O Maior Acidente Radiologico do Planeta


Meados de setembro de 1987, uma cápsula de césio abandonada no Instituto Goiano de Radioterapia foi recolhida por dois catadores. A peça foi rompida a marretadas e vendida a um ferro-velho. Atraídos pelo brilho azul do material, moradores de Goiânia levaram pedaços da peça para casa. O desmantelamento por catadores de papel de parte de um aparelho de radioterapia contendo uma cápsula de césio 137 dava início em Goiânia ao " maior desastre radiológico do planeta" . A radiação provocou a morte de quatro pessoas -ao menos outras 16 tiveram lesões corporais. Toda a cidade foi atingida pela dor, o medo, a discriminação.
Dez anos depois, o acidente não foi esquecido. A cápsula do césio possuía 3 cm de comprimento e 90 gramas de massa. Os envolvidos no acidente, por ignorarem a periculosidade do conteúdo, distribuíram suas partes e porções do pó radioativo entre várias pessoas e locais da cidade, abrangendo área superior a 2.000 m2, localizada no centro de Goiânia.
A descontaminação produziu aproximadamente dez toneladas de lixo contaminado. São roupas, móveis, animais, árvores, restos de solo, paredes de casas e partes da pavimentação de ruas contaminados que estão enterrados e protegidos por paredes de 40 cm de espessura.
6.000 toneladas de lixo radioativo estão no depósito de Abadia de Goiás
Grupo I 55 vítimas, que receberam altas doses
Grupo II 51 atingidas por doses consideradas médias
Grupo III 600 que receberam doses baixas ou nem tiveram contaminação comprovada, mas ficaram expostos aos riscos da radiação.


A descontaminação
Catorze indivíduos mais atingidos pela radiação foram encaminhados ao Hospital Naval Marcílio Dias, no Rio de Janeiro. O restante foi atendido em Goiânia.
Toda a assistência prestada às vítimas do 137Cs seguiu normas internacionais de isolamento, tratamento e descontaminação. O isolamento dos pacientes, feito no Hospital Geral de Goiânia, ocupava um andar e era dividido em três diferentes áreas. Na área considerada crítica, onde se encontravam os quartos dos pacientes, enfermagem, sanitários, sala de exercícios e a de lazer, todos os materiais, inclusive vestimentas, eram monitorizados. Diariamente, eram efetuadas medidas de descontaminação na área crítica. Um filtro de ar funcionava ininterruptamente para que se soubesse o grau de contaminação do ar. Diante de qualquer alteração, a equipe da Proteção Radiológica fazia descontaminação com material abrasivo.
Os procedimentos visando a acelerar a eliminação do 137Cs foram satisfatórios, pois contribuíram para a diminuição da contaminação verificada no contador de corpo inteiro, bem como na avaliação de quantidade de material radioativo eliminado pela urina e fezes.
Os pacientes tomavam três, quatro banhos por dia com solução de vinagre.
Utilizou-se também métodos abrasivos para descontaminação da pele e aplicação de resinas de trocas iônicas, as quais eram colocadas em luvas e botas plásticas para descontaminação de mãos e pés.
Ingestão de altas doses de ferrocianeto férrico, conhecido como azul-da-Prússia.
Exercícios físicos e banhos de sauna para eliminação através do suor. Ingestão de líquidos em abundância (3.000 mL/dia), entre água e sucos de frutas ricas em potássio.
Os dejetos dos pacientes eram coletados em frascos plásticos e analisados rotineiramente em laboratório de Radioquímica, no Rio de Janeiro.
Rejeitos foram estocados em tonéis de aço e considerados lixo radioativo. Métodos cirúrgicos para remoção de partes desvitalizadas de acordo com cada um dos casos.

Quatro vidas perdidas
O acidente radiológico afetou a saúde de centenas de pessoas que tiveram algum contato com o elemento químico e provocou quatro mortes.
Uma mulher, uma criança e dois jovens morreram cerca de um mês após receber altas doses de radiação.
Maria Gabriela Ferreira, 29 anos, foi a primeira vítima a morrer. Ela foi a óbito no dia 23 de outubro de 1987, às 11h55
Leide das Neves Ferreira, que ingeriu partículas de 137Cs, morreu aos 6 anos de idade, às 18 horas de 23 de outubro
Israel Batista dos Santos, 18 anos, trabalhava no ferro-velho onde foi aberta a cápsula. Contaminado, morreu no dia 27 de outubro
Admilson Alves de Souza, 18 anos, também empregado do ferro-velho, morreu em 28 de outubro
O que é o césio?
As primeiras tentativas do homem de classificar a matéria levaram-no a acreditar na existência de quatro divisões gerais: ar, água, terra e fogo. Essa classificação permaneceu por muito tempo, até surgirem filósofos como Demócrito (filósofo grego) que denominou “átomo” a forma fundamental da matéria.
Hoje em dia sabemos que o átomo é o menor elemento capaz de exibir características físicas e químicas. Um grupo de átomos forma a “molécula”. Os átomos classificados são exibidos em uma tabela conhecida como Tabela Periódica.
O césio 137 é um elemento resultante da fissão nuclear do urânio. O processo começa com a inserção de um nêutron em um reator abastecido com urânio 235. O urânio absorve o nêutron, passa a ser urânio 236 e fica instável, isto é, fica com excesso de energia que precisa liberar para tornar-se estável novamente. Para recuperar a estabilidade, ele se quebra em dois pedaços (fissão nuclear), liberando radioatividade (raios gama) e vários nêutrons (esses nêutrons vão bombardear outros átomos, repetindo todo o processo, no que se chama de reação em cadeia). Cada um dos dois pedaços é um novo elemento, dependendo do número de prótons e nêutrons que recebeu.
Mais de 100 elementos se formam como resultado da fissão. Um deles é o césio 137, que também é instável, isto é, precisa liberar excesso de energia. O núcleo do césio 137 é constituído por 55 prótons e 82 nêutrons. A soma desse números é a massa atômica, 137. Essa composição dá instabilidade ao núcleo do césio. Para recuperar a estabilidade, um dos nêutrons vira próton (o núcleo fica com 56 prótons e 81 nêutrons) e uma partícula com carga negativa, chamada partícula beta, é expulsa. Esta partícula constitui a radioatividade do césio 137. Ao liberar esta radioatividade, ele se transforma em outro elemento: bário 137. O bário 137 também é instável e, portanto, radioativo. Para recuperar a estabilidade, ele emite raios gama. Após fazer isso, deixa de ser radioativo. Continua a ser chamado de bário 137, mas é inofensivo. O césio 137 começa a perder sua radioatividade em aproximadamente 30 anos.
A radioatividade pode ter efeito devastador no organismo humano. Começa a destruir as células de dentro para fora: primeiro a camada muscular seguido dos vasos sanguíneos, depois atinge a camada de gordura, posteriormente a derme e a epiderme.

__________________________________________________________________

* O presente título desta página foi tema de notícia do jornal Folha de São Paulo (Todo dia uma fonte de radiação é perdida no mundo, diz perito, edição de 31 de outubro de 1997). Há um exagero em denominar o acidente de Goiânia como o maior acidente radiológico do planeta. Sem entrar no mérito da semântica entre "radiológico" e "nuclear", os primeiros experimentos com as explosões das bombas atômicas nas ilhas de Biquíni, o acidente de Chernobyl dentre inúmeros outros acidentes foram muito mais importantes do que o de Goiânia. Se considerarmos como acidente da ignorância humana as duas explosões atômicas lançadas a poucos metros da cabeça da população civil de Hiroshima e Nagasaki então o acidente de Goiânia foi imensamente menor! Nesta mesma linha, a legislação brasileira exigiu por várias décadas que todo trabalhador brasileiro fosse "abreugrafado" a cada seis meses é evidente que a repercussão radiológica populacional desta estupidez anula o título desta notícia.


Fonte: Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo

3 comentários:

hobbyblogclube disse...

Olá, Aldo!
Muito bom tê-lo conosco!
Abçs!
Rike.

Aиdяєiα ♀ disse...

Bom gostei muito da materia sou aqui de Goiânia ate hoje sofremos com o césio 137 pois aqui em Goiânia depois que ouvi esse acidente Goiânia virou uma das cidades com mais Índice de câncer do Brasil dizem os especialista que a radiação ainda está sobre os ceus da capítal e que ficara por aqui ate daki 300 anos mais isso e muito polêmico, e uma coisa que acho assim fico assim boba de sabe que a maior parte dos brasileiros não sabem disso que o maior acidente radiológico do planeta aconteceu no brasil e em Goiânia o caso se abafou muito durante os anos mais e isso parabéns curti muito o post
Abraços

Alex disse...

Parabéns pela sua matéria. Eu luto para conscientizar as pessoas do absurdo que vem sendo praticado por profissionais de medicina ao prescrever uma tomografia computadorizada para qualquer tipo de coisa. Segundo fontes ameriacanas, a Tc é seguramente, a fonte de radiação mais forte existente na Medicina, não existindo nada igual que ocorra na natureza e portanto, o sistema biológico humano não foi preparado para tal. a mesma matéria afiirma que, uma Tc de corpo inteiro em níveis de radiação, equivale àquela que os moradores de Hiroshima e Nagazaki receberam quando o avião "Enola Gay" lançou sua bomba naquelas cidades...

Lista das 10 postagens mais populares desde à criação do Blog

Pegue uma Bíblia e descubra Como ir para o Céu

O plano de Deus para a sua salvação

Primeiro você precisa saber:

1) Boas obras não salvam (Efésios 2:8,9 / João 14:6 / Tito 3:4-7)

2) Todos pecaram inclusive você (Rom 3:23)

3) E por isso todos estão indo para a morte eterna (o Inferno) (Rom 6:23)

4) Mas Deus nos amou tanto que enviou Jesus Cristo para nos salvar (João 3:16 / João 14:6 / Romanos 5:8 / Lucas 5:32)

E assim se você...

1) ... se arrepender e confessar que é pecador, (2 Cor 7:10 / 1 Jo 1:9)

2) ... crer que Jesus é o Filho de Deus (Rom 10:9)

3) ... e pedir a Ele: “Jesus me perdoa, me salva! (Rom 10:13 / Lucas 23:33-43)

Então você será salvo!

1) Todos os seus pecados serão perdoados e lavados pelo sangue de Jesus (I João 1:7 / Marcos 1:40-42)

2) Você terá vida eterna no céu com Deus (João 3:16 / João 14:2-6)

3) A salvação não se perde jamais (João 10:27-30)

“Eis aqui agora o dia da salvação” (2 Cor 6:2)

Ninguém sabe quanto tempo vai viver, não adie a maior decisão que você tem a tomar na vida. Converse com Deus em uma oração simples, se arrependa, confesse, creia e clame “Jesus me perdoa, me salva, me lava, me transforma!” E assim você poderá ter absoluta certeza da salvação.

Fonte: Editora Elim – www.editoraelim.com.br – (21) 2415-7923

FOLHETO: ESTA FOI A SUA VIDA!

VOCÊ TEM UM TEMPINHO PARA VER?

PAÍSES QUE PASSARAM POR AQUI: QUASE 160

free counters