PARCERIA MEUSLINKS

Siga Também no Google+

Gostou do blog? Então Participe!

Top 5 Postagens Mais Populares da Última Semana

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Artistas ingleses boicotam Israel enquanto 1 milhão de meninas inglesas são estupradas por gangues muçulmanas

Imagem Ilustrativa
Fonte/Imagem: 
Relativamente Interessante
Numa iniciativa chamada “Artistas em Defesa da Palestina,” uns 700 artistas ingleses, inclusive Roger Waters, Brian Eno, Mike Leigh, Ken Loach e Richard Ashcroft, fizeram um compromisso, em 14 de fevereiro, de boicotar Israel em reação ao que classificaram de “catástrofe palestina,” de acordo com o jornal Jerusalem Post.

Catástrofe? É o que está acontecendo ao redor de Israel. A Síria, o Iraque e outras nações islâmicas ao redor de Israel estão sofrendo: muçulmanos estão matando cristãos. Em todas as nações muçulmanas do Oriente Médio, o mesmo padrão se repete em grau maior ou menor: muçulmanos matando cristãos.

Por que no mar de violência do Oriente Médio os muçulmanos são os agressores e levam vantagem contra os cristãos, mas não contra Israel?

Porque Israel é a única nação não-muçulmana do Oriente Médio que tem condições de se defender.



Por que os artistas ingleses estão incomodados com a defesa israelense, mas não estão preocupados nem angustiados com o fato de que cristãos estão sendo estuprados, torturados e massacrados em nações muçulmanas ao redor de Israel? A Inglaterra não é uma nação com raízes cristãs? A Inglaterra é incapaz de sentir compaixão de cristãos oprimidos por muçulmanos?

Por que os artistas ingleses estão incomodados com Israel? Será que os judeus estão estuprando meninas inglesas? Aliás, se o povo inglês fosse informado na 2ª Guerra Mundial que soldados nazistas tinham a intenção de invadir a Inglaterra para estuprar meninas inglesas, a população britânica reagiria e lutaria furiosamente por suas meninas.

Se dissessem ao povo inglês hoje que os judeus têm a intenção de invadir a Inglaterra para estuprar meninas inglesas, o povo inglês reagiria e lutaria furiosamente por suas meninas.

Contudo, é exatamente isso que está acontecendo. A Inglaterra está sendo invadida, mas não por nazistas ou judeus. De acordo com uma reportagem reveladora, chocante e dolorosa da revista americana FrontPage, gangues muçulmanas estão infligindo exploração sexual em meninas inglesas, e as autoridades inglesas acreditam que até 1 milhão de meninas podem ter sido vítimas, descrevendo a situação como um “desastre nacional” que exige alguma resposta para lidar com o “horror.”

Então, quando é que os artistas ingleses vão pressionar o governo britânico a fazer um compromisso de boicotar toda imigração de estupradores islâmicos?

Quando é que eles vão lançar uma iniciativa “Artistas em Defesa das Meninas Inglesas”?

Quando é que eles vão reagir furiosamente ao desastre e horror nacional da exploração sexual islâmica de meninas inglesas?

Ou proteger as meninas inglesas é menos importante do que ser rotulado de fanático, racista ou islamófobo pela mídia esquerdista?

Toda vez que Israel se defende contra muçulmanos palestinos, os mesmos rótulos são usados contra os judeus.
O apático governo e povo inglês, que não estão protegendo suas filhas dos muçulmanos, não têm direito algum de condenar Israel por proteger seu povo e suas filhas.

Se queremos ganhar a guerra contra o terrorismo islâmico, proteger as meninas inglesas e proteger os cristãos e Israel de inimigos islâmicos, temos de estar prontos para a guerra de rótulos travada pelos esquerdistas.

Versão em inglês deste artigo: British Artists Boycott Israel As One Million British Girls Are Raped by Muslim Gangs


Fonte: www.juliosevero.com / o guarda de Israel

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Beyoncé canta música gospel na premiação do Grammy 2015 e emociona audiência; Assista


A cantora Beyoncé interpretou uma música gospel em sua apresentação na 57ª edição do Grammy Awards e foi ovacionada pelo público. A esposa do rapper Jay-Z foi seguida por outra memorável apresentação dos cantores John Legend e Common, que também interpretaram uma música com mensagens de paz e referências a Jesus Cristo.

“Take My Hand, Precious Lord” (“pegue minha mão, precioso Senhor”, em tradução livre), é uma composição do pastor Thomas A. Dorsey (1899 – 1993), e é considerada um hino pelos cristãos norte-americanos.

Recentemente, a música voltou a ganhar destaque por causa do filme “Selma – Uma Luta Pela Igualdade”, que recebeu indicações ao Oscar 2015.

Em sua apresentação, Beyoncé estava vestida de branco, assim como os backing vocals que a acompanharam, e disse que havia ouvido aquela canção pela primeira vez na voz de sua mãe, que é cristã e a levava à igreja na infância.

Já a música “Glory”, do cantor John Legend, foi interpretada ao lado do rapper Common. A mensagem da letra, que fala sobre liberdade e igualdade, diz que “até Jesus ganhou sua coroa em frente a uma multidão”, numa referência à injustiça que permeia a sociedade há milênios.

Em outro trecho da letra, a referência ao racismo surge de maneira a minimizar os efeitos do preconceito, dizendo que “os pecados contra a nossa pele se tornam bênçãos”.

Assista ao vídeo da interpretação de Beyoncé da música “Take My Hand, Precious Lord” e confira a tradução abaixo:





Precioso Senhor, pegue minha mão
Guie-me,
Deixe-me estar
Eu estou cansado, estou fraco estou desgastado
Através da tempestade, durante a noite
Guie-me à luz
Tome minha mão precioso Senhor, conduza-me para casa

Quando meu caminho aumenta querido e precioso Senhor permanecem próximo
Quando minha vida está quase acabada
Ouça meu pranto,
Escute meu chamado
Segure a minha mão para eu não cair
Pegue minha mão precioso Senhor, conduza-me para casa

Quando a escuridão aparece e a noite se aproxima
E o dia acaba e se vá
No rio eu permaneço
Guia meus pés,
Segure a minha mão
Tome minha mão precioso Senhor, conduza-me para casa

Precioso Senhor, tome minha mão
Guie-me,
Deixe-me estar
Estou cansado, estou fraco, estou desgastado
Através da tempestade, durante a noite
Guie-me à luz

Pegue minha mão precioso Senhor, conduza-me para casa


Com informações do Gospel+

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Recém-nascida é encontrada com vida dentro de túmulo na Serra de SC

Pedreiros ouviram choro do bebê, que estava em saco plástico, em Lages.
Criança foi internada no Hospital Tereza Ramos nesta terça e passa bem.


Recém-nascida passa bem e tem 2,3 kg, segundo Hospital Tereza Ramos (Foto: Reprodução/RBS TV)

Um bebê recém-nascido foi encontrado com vida dentro de um saco plástico em um túmulo no Cemitério da Penha em Lages, na Serra Catarinense. A criança foi localizada por dois pedreiros que trabalham no local por volta das 8h30 desta terça-feira (3).

Pedro Vanderlei da Silva, de 48 anos, e um colega estavam passando por uma das carreiras do cemitério quando ouviram o choro de uma menina vindo de uma das sepulturas.

Conforme o funcionário, primeiro eles acharam que se tratava de um bicho, mas em seguida perceberam que era uma criança.

Ele conta que a recém-nascida estava enrolada em uma manta dentro de uma sacola amarrada. O saco plástico foi colocado dentro de um dos túmulos que estava com a gaveta aberta.

Segundo Pedro, os dois pedreiros pegaram a menina no colo e esperaram pela chegada da polícia.

“A criança estava tremendo e a pegamos no colo. Em menos de cinco minutos, a Polícia Militar (PM) chegou. A gente acredita que se a bebê ficasse ali por mais uma meia hora, talvez ela não resistisse”, afirma o funcionário.

Há 10 anos trabalhando no cemitério municipal, Pedro nunca havia vivenciado uma cena como essa. “Era muito cedo, não havia nenhum movimento e a menina ainda estava com o cordão umbilical. Na hora a gente se arrepiou”, diz.

Internação

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e encaminhou a recém-nascida para o Hospital e Maternidade Tereza Ramos, por volta das 9h50.


Recém-nascida Lages (Foto: Reprodução/RBS TV)

De acordo com a direção da instituição hospitalar, a criança aparentemente nasceu poucas horas antes de dar entrada no hospital e pesa 2,380 quilos.

A menina passa bem e está saudável. Os funcionários do hospital chamam o bebê de Renata, por significar renascimento.
O caso está sendo investigado pela Polícia Civil de Lages.

Com informações do G1

domingo, 1 de fevereiro de 2015

O que as tatuagens dos criminosos significam? Confira.

Título original: Você gostaria de descobrir o que as tatuagens dos criminosos significam?

Não é nenhum segredo que bandidos e membros de organizações criminosas muitas vezes usam tatuagens como forma de identificar seus integrantes ou delitos. O problema é que poucos sabem o que os símbolos marcados nas peles desses indivíduos representam. Pois, segundo Ricardo Senra da BBC Brasil, Alden dos Santos, um Capitão da Polícia Militar da Bahia, resolveu traduzir o significado dessas imagens e teria conseguido decifrar 36 delas.

De acordo com Ricardo, há 10 anos o Capitão vem trabalhando na “decodificação” de tatuagens de presos e suspeitos tanto brasileiros como estrangeiros. Para isso, o PM já avaliou cerca de 50 mil documentos e fotos — obtidas de redes sociais e mídias impressas, assim como de delegacias, presídios e institutos médicos legais — e, depois de isolar as tattoos mais recorrentes, fez o cruzamento entre os desenhos e as informações das fichas criminais.


Personagens e símbolos


Durante os levantamentos, o policial percebeu que havia alguns padrões bem claros entre crimes e símbolos, e descobriu, por exemplo, que tatuagens de palhaços ou do Coringa parecem estar associadas a roubos e morte de policiais, e que duendes e magos costumam ser as figuras mais comuns entre traficantes. Ainda com a turminha dos “tóxicos”, o Saci seria a imagem usada pelos responsáveis por preparar e distribuir drogas.
Imagens do diabo apontariam os pistoleiros, enquanto as caveiras serviriam para identificar assassinos e matadores de policiais. Já as cruzes indicariam elementos que já estiveram presos anteriormente, e a combinação de cruzes e caveiras teriam significado de lealdade com respeito aos colegas de cela, assim como serviriam para apontar quem mata para não morrer.




Algumas imagens seriam tatuadas para discriminar os presos e, segundo o Capitão Alden, muitas vezes a aplicação ocorre contra a vontade dos acusados. Assim, desenhos de pênis serviriam para identificar estupradores, e corações cortados por flechas, frases como “amor só de mãe” ou as letras “D.A.” revelariam presos que enfrentaram vários anos de servidão sexual nos presídios.
O Capitão também notou que alguns personagens infantis são bastante comuns entre os bandidos, como é o caso do Taz, Ligeirinho e Papa-léguas.Segundo ele, o primeiro estaria ligado a crimes como furto, roubo e arrastões, e os outros dois seriam comuns em delinquentes que distribuem drogas com motos. E além de imagens mais elaboradas, o policial ainda deu atenção a sinais mais simples presentes nos rostos e mãos dos bandidos. Veja:



Padrão universal?

Segundo Ricardo, o Capitão Alden também percebeu que muitos dos símbolos tatuados pelos criminosos se repetem não só por todo o Brasil, mas em outros locais do mundo, como na Rússia, nos EUA e em países da Europa. Os levantamentos acabaram se transformando em uma cartilha de orientação que vem sendo utilizada pela Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia, e você pode conferir o material disponibilizado pelo PM através deste link.



Apesar das descobertas e da repercussão que a pesquisa do Capitão vêm ganhando — ele conta com mais de 9 mil seguidores no Facebook —, o PM insiste em reforçar que o objetivo da cartilha não é o de discriminar pessoas que tenham tatuagens, já que há milênios esse tipo de arte é usada como forma de expressão.
O material, segundo disse, deve ser encarado como uma ferramenta para facilitar o reconhecimento de suspeitos — e para alertar os oficiais sobre bandidos que possam estar envolvidos com mortes de policiais


FONTE(S) BBC Brasil/Ricardo Senra / Capitão Alden dos Santos
IMAGENS Capitão Alden dos Santos / Capitão Alden dos Santos
VIA: Cópia Qualidade

“Indiana Jones judeu” diz saber onde está a Arca da Aliança

Arqueólogo afirma que existe um túnel que leva até câmara secreta





A Arca da Aliança é o artefato mais sagrado e significativo do judaísmo. De grande importância religiosa e histórica, passou a fazer parte do imaginário popular após o lançamento do filme Indiana Jones e os Caçadores da Arca Perdida.

O especialista em TI Harry Moskoff, que também é arqueólogo e cineasta amador, recebeu o apelido de “Indiana Jones judeu”. Ele dedicou os últimos 25 anos de sua vida para descobrir a localização dessa “Arca Perdida”.

Em entrevista ao site Israel News, conta que já se reuniu com diversas autoridades rabínicas e arqueológicos de renome mundial em busca de informações. Revestida de ouro puro, a Arca foi construída por orientação de Deus e fez parte da peregrinação dos judeus no Êxodo durante 40 anos.

Era a peça mais importante no Templo de Salomão e ficava no local chamado santo dos santos. Segundo a Bíblia, representava a presença do próprio Deus. Foi vista pela última vez no ano 586 a.C., quando os babilônios conquistaram Jerusalém e destruíram o Templo. O que aconteceu com a Arca permanece um mistério até hoje.

Moskoff acredita que está muito perto de encontrar a verdadeira localização da Arca, afirmando que ela está enterrada no Monte do Templo. Sua teoria, com base em evidências históricas, arqueológicas, topográficas e bíblicas, é que quando encontrar-se a verdadeira localização do Santo dos Santos, a caixa de ouro estará em uma câmara secreta, construída diretamente abaixo, numa sala construída pelo rei Salomão. 
Segundo tradições judaicas, o rei previu a destruição do Templo e teria edificado esse local como segurança.

Harry Moskoff, o “Indiana Jones judeu”.


De modo geral, acredita-se que a mesquita chamada de “Domo da Rocha” foi construída sobre o local do Templo. Porém, eruditos judeus argumentam que Deus jamais permitiria qualquer edifício ser construído em cima do Santo dos Santos. Moskoff afirma ter estudado a fundo a estrutura do Monte Moriá, nome que os judeus dão ao local. Ele explica que vários historiadores conhecidos afirmam saber a localização exata do templo judaico, contudo “algumas coisas simplesmente não faziam sentido com a topografia original da montanha”.

Sua opção foi manter-se fiel ao relato bíblico e ao livro “À Sombra do Templo” (1982), do famoso arqueólogo israelense Meir Ben-Dov. Um dos trabalhos mais conhecidos de Ben-Dov foi a descoberta de um túnel mencionado nas escrituras judaicas que era usado pelos sacerdotes que estavam “ritualmente impuros”.

“O túnel foi construído na parte sul do Monte. Conduz a um banheiro ritual. Este lugar é descrito no Talmude. Ele (Ben-Dov) descobriu que túnel existe até hoje, da mesma maneira como foi descrito”, disse Moskoff. “Este túnel foi bloqueado há 150 anos e é claro que muitos querem que permaneça fechado. Mais de 2.000 anos depois, o túnel continua inteiro. Se passarmos por esse túnel, ele nos levará até a localização exata do Templo”, comemora.

Para Moskoff o problema é que a maioria dos arqueólogos não são religiosos e minimizam os relatos das Escrituras como fatuais. Por isso não acharam a arca até hoje. “Nenhum deles está procurando a Arca de uma perspectiva verdadeiramente judaica, tradicional e bíblica, conciliando todas as fontes”, defende Moskoff

O principal empecilho para que possa mostrar ao mundo se tua teoria está correta é o fato de as escavações sob o Monte serem proibidas. O local, que também é sagrado para os muçulmanos, é administrado pela Waqf, ligado ao governo da Jordânia.

Perguntado sobre por que dedicar-se tantos anos por algo que não pode provar, Moskoff explica que entende que a revelação da arca está ligada ao cenário dos últimos dias, quando o Templo será reerguido.

“Quando se fala sobre a Arca, não pode deixar de falar sobre o que está acontecendo hoje em Israel. 
Quase todos os dias, Jerusalém e o Monte do Templo estão nas manchetes. Ao descobrir a Arca ou mesmo outros artefatos relacionados ao Templo poderia iniciar uma revolução”, disse ele.

Ele produziu um documentário explicando sua teoria detalhadamente. Também criou um site para divulgar suas descobertas.

Com informações do GP

Lista das 10 postagens mais populares desde à criação do Blog

Pegue uma Bíblia e descubra Como ir para o Céu

O plano de Deus para a sua salvação

Primeiro você precisa saber:

1) Boas obras não salvam (Efésios 2:8,9 / João 14:6 / Tito 3:4-7)

2) Todos pecaram inclusive você (Rom 3:23)

3) E por isso todos estão indo para a morte eterna (o Inferno) (Rom 6:23)

4) Mas Deus nos amou tanto que enviou Jesus Cristo para nos salvar (João 3:16 / João 14:6 / Romanos 5:8 / Lucas 5:32)

E assim se você...

1) ... se arrepender e confessar que é pecador, (2 Cor 7:10 / 1 Jo 1:9)

2) ... crer que Jesus é o Filho de Deus (Rom 10:9)

3) ... e pedir a Ele: “Jesus me perdoa, me salva! (Rom 10:13 / Lucas 23:33-43)

Então você será salvo!

1) Todos os seus pecados serão perdoados e lavados pelo sangue de Jesus (I João 1:7 / Marcos 1:40-42)

2) Você terá vida eterna no céu com Deus (João 3:16 / João 14:2-6)

3) A salvação não se perde jamais (João 10:27-30)

“Eis aqui agora o dia da salvação” (2 Cor 6:2)

Ninguém sabe quanto tempo vai viver, não adie a maior decisão que você tem a tomar na vida. Converse com Deus em uma oração simples, se arrependa, confesse, creia e clame “Jesus me perdoa, me salva, me lava, me transforma!” E assim você poderá ter absoluta certeza da salvação.

Fonte: Editora Elim – www.editoraelim.com.br – (21) 2415-7923

FOLHETO: ESTA FOI A SUA VIDA!

VOCÊ TEM UM TEMPINHO PARA VER?

PAÍSES QUE PASSARAM POR AQUI: QUASE 160

free counters