PARCERIA MEUSLINKS

Siga Também no Google+

Gostou do blog? Então Participe!

Top 5 Postagens Mais Populares da Última Semana

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Os índios, a cultura da morte e os poetas do infanticídio

Ninguém vai dar beijo na boca para salvar os curumins?

Reinaldo Azevedo
Vivemos dias, como sabem, da mais absoluta inversão moral. Um deputado como Osmar Terra (PMDB-RS), que propõe uma lei mais dura contra o tráfico, é tratado pela imprensa como bandido. É achincalhado, convoca-se um batalhão para dar opiniões e escrever artigos contra a sua proposta e lhe cassam a palavra. Já um outro, como o petista Paulo Teixeira (SP), que acha que um estoque de drogas para até 10 dias de consumo deve ser considerado legal (e isso é tráfico, claro!), é visto como herói, é paparicado, é tratado como pensador. Assim, ninguém aqui vai estranhar muito, embora possa ser estupefaciente, ao saber que uma entidade que salva crianças indígenas do infanticídio está sendo perseguida pelo Estado brasileiro. Vamos ver.

Num dos textos que escrevi sobre o tal Beto, aquele senhor que, por distração da Igreja, ainda era seu sacerdote, afirmei que a cultura politicamente correta dos nossos dias convive bem com o infanticídio praticado por tribos ianomâmis, mas acha absurdo que a Igreja Católica cultive alguns valores sobre a família. Citei o caso dos ianomâmis, mas atenção!, há pelo menos 20 etnias no Brasil que ainda matam suas crianças, sob o olhar cúmplice da Funai e do Ministério da Justiça. Certa “antropologia” acha que o “homem branco” não tem de se meter. Em nome do multiculturalismo, considera-se um “direito” matar infantes. As situações que “justificam” a sentença são as mais variadas: deficiência física, nascimento de gêmeos (um tem de ser morto), filho de mãe solteira… E vai por aí.

Recebi um comentário enviado por Damares Alves, que é pastora da Igreja do Evangelho Quadrangular, advogada e assessora parlamentar. Ela é fundadora e dirigente de uma entidade chamada Movimento ATINI-Voz Pela Vida, que intervém, salva e cuida de crianças condenadas. Também é preciso dar abrigo às famílias, que, para salvar seus filhos, são obrigadas, muitas vezes, a deixar a comunidade. Resultado: o ATINI está sendo perseguido pelo estado brasileiro. É isto mesmo: quem salva vidas é obrigado a se explicar!
Damares Alves
 Damares está diretamente envolvida com o projeto, trabalho que é severamente combatido pela Funai. A fundação e alguns de seus aloprados acham que a intervenção descaracteriza a cultura dos índios. Leiam trecho da mensagem de Damares. Volto em seguida.

Reinaldo,
Não dá mais para viver neste país sem ler seu blog todos os dias. Que bom que você, novamente, tocou no assunto infanticídio em áreas indígenas! Faz tempo que queremos convidá-lo a conhecer alguns pais indígenas que, contando com apoio de pessoas corajosas, lutaram para salvar seus filhos do infanticídio. 
Então fica registrado o convite. Venha e descobrirá como estão lindas as crianças, algumas já são adolescentes. Venha passar uma tarde conosco, em nossa instituição. Venha jogar bola com elas (se prepare para perder), venha ver como elas estão felizes. Mas venha também degustar comidas indígenas com os adultos — claro que, em nosso cardápio, temos formigas vivas para lhe servir. Tem coragem?

Aproveito para lhe recomendar o documentário “Quebrando o Silêncio”, da cineasta Sandra Terena, onde ela, como indígena, apresenta imagens e depoimentos provando que o infanticídio ocorre também em outras etnias e que os índios amam seus filhos e querem ajuda para não mais eliminá-los, mesmo que alguns “intelectuais” digam que os índios devem continuar matando seus filhos. Por ajudar os indígenas a salvar as crianças o Movimento ATINI-Voz Pela Vida (www.atini.org/), do qual sou uma das fundadoras, responde a inquéritos na Polícia Federal, e algumas pessoas que voluntariamente acolheram crianças em suas casas também estão sendo ameaçadas.(…)

Reinaldo, mais uma vez parabéns pela sua coragem. Obrigada por sempre lembrar dos pequenos curumins, Que o Grande Tupã o abençoe!

Damares Alves

Sou grato a Damares pelas palavras gentis, mas terei de declinar das formigas vivas… Não rola, assim, uma farinha de mandioca com água, hehe? Brincadeira à parte, Damares certamente cita o caso das formigas para deixar claro que, ao salvar uma criança, ninguém está querendo mudar os hábitos indígenas. Ademais, em nome de que teoria é sustentável a tese de que as culturas indígenas estão proibidas de operar mudanças?

O direito à vida é um valor universal protegido pela nossa Constituição. Assim, o infanticídio, se praticado em território brasileiro, é crime. E ponto final. Ainda que índios não aculturados sejam inimputáveis (e é bom deixar claro que o infanticídio persiste mesmo em tribos que já descobriram o mundo moderno…), é evidente que os agentes da Funai não são. Se há conivência — E HÁ — com essa prática, estão praticando crimes.

A comissão antes de Feliciano

A questão chegou à Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, nos tempos pré-Feliciano, quando aquilo, a dar crédito aos nossos jornais, era um antro de humanistas de esquerda. Em 2007, o deputado Henrique Afonso, do PV do Acre, apresentou um projeto de lei que punia os funcionários públicos que fossem coniventes com o assassinato de crianças indígenas. Responderiam por crime de omissão de socorro.

A Funai e alguns antropólogos pressionaram. Os esquerdistas da comissão, então, decidiram adiar o debate por quatro anos. Em 2011, a questão voltou. O texto de Afonso foi substituído por outro, da deputada petista Janete Pietá (PT-SP). Acabou-se com a possibilidade de punir os servidores públicos brasileiros que, rasgando a Constituição, forem coniventes com o crime. Janete, com aquela pureza d’alma muito própria dos petistas, deu, então, a seguinte declaração: “A tradição de sacrificar crianças é mantida por poucas comunidades. O Brasil tem mais de 200 povos indígenas. Se isso ainda ocorrer em 20, são apenas 10%”. Entenderam? Para a deputada petista, desde que não seja muito infanticídio, mas só um pouco, então tudo bem.

Ninguém deu bola para a sua declaração. Não teve selinho. Quando a comissão, em suma, nos tempos pré-Feliciano, deu aval branco para matar criancinhas em nome da preservação da cultura indígena (só em 10% das comunidades, né, deputada?), ninguém foi lá invadir a Câmara, subir na mesa, sapatear.
Criancinha assassinada não faz lobby na imprensa.

Fonte: Reinaldo Azevedo
Divulgação: www.juliosevero.com

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Aos 14 anos, Sasha descobre que Xuxa Meneghel já posou nua - Em depoimento à Justiça, Xuxa contou que foi uma grande decepção para Sasha saber do passado da apresentadora

Xuxa e Sasha. Foto: Divulgação


O passado de Xuxa Meneghel insiste em vir à tona em vários momentos. Desta vez, a grande prejudicada é a filha da apresentadora, que prestes a completar 15 anos de idade, escutou da mãe uma grande revelação: Xuxa já havia posado nua para uma revista masculina. O culpado em relembrar incômodos na vida da rainha dos baixinhos é o processo aberto pela apresentadora contra a Rede Bandeirantes, que em 2008 exibiu fotos da loira nua em um programa da tarde.

Em depoimento à Justiça, Xuxa contou que foi uma grande decepção para Sasha saber do passado da apresentadora, já que além de mãe, a rainha dos pequenos é um ídolo para a filha. Ainda em depoimento, Xuxa alegou ter optado por contar à filha sobre as fotos por medo que ela descobrisse sobre a revista através de outras pessoas, além de não saber até que ponto esta informação poderia traumatizar Sasha.

As poses desprovidas de roupas parecem uma grande pedra no sapato de Meneghel, já que afirmou se arrepender de ter posadoantes de se tornar uma apresentadora de programas infantis. Na declaração ao judiciário, Xuxa afirmou que precisa provar quase diariamente que o que faz hoje não tem nada a ver com o passado da rainha.

PROCESSO - Em 2008, o pograma 'Atualíssima', da emissora Bandeirantes, mostrou fotos de Xuxa nua para uma revista masculina, há quase 30 anos. Na época da divulgação das imagens, a apresentadora ainda comandava programa voltado ao público infantil. Ao depor na Justiça no Rio, Xuxa questionou o porquê do programa ter sido exibido no horário da tarde. Nesta parte do dia, segundo a apresentadora, as crianças estão assistindo televisão.

A defesa da emissora alegou que, ao exibir as fotos de Xuxa, tinha apenas o objetivo de mostrar revistas antigas e raras que possuem alto valor de mercado. A apresentação fazia parte de um quadro do 'Atualíssima'. A direção do programa afirmou ainda que as revistas masculinas são as mais caras, principalmente aquelas que têm Xuxa na capa. O processo foi motivo de surpresa para a Band, já que na visão da emissora, a matéria era corriqueira. Segundo os dirigentes da programação, a veiculação das fotos não aumentou a audiência nem o faturamento do programa.

O caso ainda não teve um desfecho. Embora o Superior Tribunal de Justiça (STJ) manter a indenização para Xuxa no valor de R$ 1,1 milhão, a assessoria de imprensa da Bandeirantes informou que já tem um recurso no STJ aguardando julgamento.

As tentativas anteriores da Band não foram satisfatórias. O máximo que a emissora conseguiu até agora foi uma redução do valor indenizatório: de R$ 4 milhões, decidida na primeira instância, para o atual valor, R$ 1,1 milhão. De acordo com o entendimento da Justiça até então, o dano material pelo uso indevido das imagens não consiste no que Xuxa deixou de ganhar, mas sim pelo que ganharia com a autorização da exibição das fotos.

FONTE: NE 10  /  MN

Thalles - Antes e depois



Nome Completo: Thalles Roberto Da Silva
Data De Nascimento: 02 de Abril /1977
Cidade Onde Nasceu: Passos, Minas Gerais - Brasil
Família: Daniela Campos (esposa), Gabriel (filho) e Miguel (filho)
Igreja:Comunidade Evangélica Sara Nossa Terra (BH)

Thalles foi integrante do grupo Jota Quest, recebeu convite para ser backing vocal de Ivete Sangalo e trabalhou com Jamil e Uma Noites por um período de um ano e meio, tudo isso antes de retornar à igreja, local onde ele havia abandonado. Hoje ele é membro da Igreja Batista da Lagoinha e já lançou três CDs e dois DVDs.

Nascido num lar evangélico, com sua família o cantor frequentava os cultos da Igreja Sara Nossa Terra na capital mineira e no ano de1998 gravou um álbum, e posteriormente com Nívea Soares e Samuel Mizrahy formaram um trio chamado Muitomais, e gravaram um álbum com o nome do trio.

Em 2003, gravou pela Sony Music o álbum Acústico Gospel, que foi indicado na categoria Melhor álbum de música de música cristã em Língua Portuguesa no Grammy Latino daquele ano, mas foi pouco divulgado.

Dono de um talento incomum, e muito conhecido na capital mineira, Thalles foi procurado por profissionais da música secular, que viam nele um diferencial para alguns trabalhos. Querendo ‘aprimorar' seus conhecimentos, ele partiu para o mercado e passou a integrar o time do Jota Quest, banda pop secular, por cinco anos.

O ‘aprimoramento', porém, teve lá seu preço: Thalles se desligou da Igreja, abandonou seu trabalho como ministro de louvor e se desviou totalmente do Caminho. Sete anos depois de sua decisão pelo secular, Thalles resolveu que era hora de voltar para a casa do Pai. De braços abertos, ele foi recebido na Igreja Batista da Lagoinha, pelo pastor Márcio Valadão, que lhe deu uma palavra muito particular.

Apesar de decidido a sair da banda onde estava, Thalles ainda não havia tomado uma iniciativa. "Continuei cantando por um período, até que o Senhor me deu um ‘ultimato'. Após um show em Brasília, avisei ao produtor que não ficaria mais. Ninguém entendeu minha atitude, mas, com certeza, fiz a melhor opção da minha vida", relata. Retornou para Jesus em 2009, na Igreja Batista da Lagoinha.

Seu primeiro disco gravado pela Graça Music foi Na Sala do Pai. Após este trabalho, gravou o DVD Na Sala do Pai e no mesmo ano gravou o disco Raízes.

Em outubro de 2010, o cantor foi premiado no extinto Troféu Melhores do Ano na categoria Revelação. Como estava viajando, Ana Paula Porto, diretora da Graça Music recebeu ao vivo o prêmio.

Em abril de 2011, participou do CD Minhas Canções na Voz dos Melhores Volume 4, cantando a música Escrita pelo Dedo de Deus, de autoria de R.R. Soares e que tornou tema do álbum que seria gravado posteriormente.

No dia 30 de julho foi gravado seu primeiro DVD ao vivo, que também foi registrado em CD duplo, intitulado Uma História Escrita pelo Dedo de Deus. O evento foi realizado no Chevrolet Hall, em Belo Horizonte, com um público de mais de cinco mil pessoas. O álbum também trouxe regravações de músicas do álbum Na Sala do Pai, participações especiais de André Valadão, Gabriela Rocha e Victor Aguiar. O álbum tem as características do pop rock nas músicas mais animadas e predominantemente MPB nas lentas, como na música Como é bom Acordar.


PREMIAÇÕES E CERTIFICAÇÕES

CDs
DISCO DE PLATINA
Na Sala Do Pai

DISCO DE OURO
Raízes
Uma História Escrita Pelo Dedo De Deus Vol.1
Uma História Escrita Pelo Dedo De Deus Vol.2

DVDs
DVD DE OURO
Na Sala Do Pai
Uma História Escrita Pelo Dedo De Deus

DVD DE PLATINA
Uma História Escrita Pelo Dedo De Deus

INDICAÇÕES E PREMIAÇÕES
2010 - Troféu Melhores do Ano - Revelação (Venceu)
2011 - Troféu Promessas - Revelação (Venceu)
2011 - Troféu Promessas - Melhor Música - Deus da Minha Vida (Indicado)
2011 - Troféu Promessas - Melhor DVD (Na Sala do Pai) (Indicado)
2011 - Troféu Promessas - Melhor Clipe (Deus da Minha Vida) (Indicado)
2011 - Troféu Promessas - Melhor Cantor (Indicado)

Fonte: Wikipédia/Eleve Sua Vida / Variedades Gospel Veras

Velório de menina baleada ao defender o pai adiado na fé que ela retorne, diz família

A igreja Assembleia de Deus de Aparecida de Goiânia (GO) ficou lotada na noite desta quarta-feira (8) para o velório de Kerolly Alves Lopes, de 11 anos. A menina recebeu um tiro ao tentar defender o pai. Com morte cerebral no domingo, a família esperava “um milagre de Deus”.


(Foto:Reprodução/Cuiket-Santa Casa de Niterói)
Homenagem póstuma.

Além da família da vítima, uma multidão comovida pela história – que teve grande repercussão na mídia brasileira -, estiveram no templo da igreja evangélica. Cerca de 300 pessoas estavam no interior da igreja e a rua também ficou lotada de pessoas que queriam prestar uma homenagem.

Apesar de a morte cerebral ter sido constatada, a família adiou o velório e pediu à equipe médica para que os aparelhos não fossem desligados.

“A gente esperava que um milagre ia acontecer”, disse a avó paterna, Vilma da Costa, ao G1. Ela relatou que a família teve fé até o último momento de que a menina teria uma recuperação. “Nós pedimos no hospital para que não desligassem os aparelhos, estávamos na fé que Deus ia trazer ela de volta”, acrescentou.

A entrada da igreja recebeu homenagens de alunos e professores da Escola Municipal Eurípedes Menezes, onde a menina estudava. Um cartaz com cartas de despedidas para Kerolly recebia os visitantes.

Segundo informou o jornal O Popular, o pai Sinomar Lopes, não havia comparecido ao local. A mãe deve pedir a guarda da outra filha nos próximos dias. “Já perdi uma filha, não vou deixar que ele me tire outra”, declarou ao jornal.

Curta-nos no Facebook

A menina foi baleada após uma discussão entre o dono de uma pizzaria e seu pai, cliente do estabelecimento. A vítima e a irmã abraçaram o pai quando George Araújo apontou a arma e atirou três vezes. Uma das balas atravessou a cabeça da menina, o que fez com que seu estado de saúde fosse considerado gravíssimo.

O acusado já se entregou à polícia e continua detido na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Aparecida de Goiânia.

Depois de ficar 11 dias internada na UTI do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), Kerolly não resistiu aos ferimentos e teve falência múltipla de órgãos na última terça-feira.

O guarda de israel, com informações do The Christian Post

Depoimentos apontam que Marcos Pereira realizava orgias com fiéis

O advogado da igreja garante que tudo não passa de uma armadilha contra o pastor e que uma das mulheres citadas ainda é virgem.



A reportagem do UOL teve acesso a trechos dos depoimentos das fiéis da igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias (ADUD) que estão acusando o pastor Marcos Pereira de cometer estupro. Uma delas relatou que o pastor identificou nela um “espírito de lésbica” e passou a forçá-la a manter relações com ele e participar de orgias sexuais com garotos de programa.

“Após o ato sexual, o Pastor Marcos ordenava que os participantes do ato pedissem perdão uns aos outros sobre o que havia ocorrido e que após procurassem o Ministério da Adud, na figura de um diácono, evangelista ou presbítero, que pedisse a ele também perdão, informando que foi enviado pelo pastor, porém mantivesse em segredo o que havia ocorrido”, relatou uma delas.

Outra testemunha diz que foi ameaçada por Pereira para não contar a ninguém sobre o que aconteceu entre eles dizendo coisas como: “vou acabar com a sua vida”.

O delegado Márcio Mendonça, titular da DCOD (Delegacia de Combate às Drogas), disse ao UOL que as investigações apontam que o pastor promovia orgias sexuais envolvendo homens, mulheres e menores dentro da sede da igreja em São João do Meriti.

Mendonça diz também que o pastor conseguia convencer as mulheres usando sua boa retórica e quando ela não funcionava, ele passava a usar a força. “Ele tem uma oratória fantástica e abusava de fiéis que trabalhavam como voluntários da igreja. Usava o poder do convencimento. Quando não dava certo, ele usava a força bruta. Jogava a mulher na cama e atacava”.

A Polícia acredita que o líder da ADUD chegou a abusar sexualmente de mais de 20 mulheres, já o advogado da igreja diz que as acusações foram armadas por pessoas que não gostam dele.

“É tudo mentira. Isso é invenção de pessoas que não gostam dele. Duas pessoas foram forçadas a fazerem isso [acusá-lo]. Uma menor fez um exame no IML [Instituto Médico Legal], que comprovou que ela é virgem. Ele é uma pessoa muito boa, nunca ameaçou ninguém”, disse o advogado Marcelo Patrício.

O pastor Marcos Pereira foi preso na noite desta terça-feira (7) e agora ficará detido em Bangu 2 até o dia do julgamento. Seu advogado tentará habeas-corpus para soltar o líder religioso que tem recebido o apoio e o carinho dos fiéis da igreja.

Com informações do Gospel Prime

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Gay é a favor de Marco Feliciano e pede oração para deixar a prática

Ele narra que sofre muito por ser homossexual e acredita que ele já nasceu assim



Gay é a favor de Feliciano e pede oração para deixar a prática


A cantora Vanilda Bordieri entrevistou em Camboriú o jovem identificado como Robson, um homossexual que apoia o deputado Marco Feliciano na presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias e se mostra contrário à união entre pessoas do mesmo sexo.

Robson foi chamado de “corajoso” pela cantora que mantém na internet o programa “FofoCantora” onde entrevista personalidades do meio evangélico ou comenta assuntos polêmicos, como é o caso deste vídeo postado nesta terça-feira (30).

Na entrevista o jovem fala sobre sua família evangélica e da criação que teve, dizendo inclusive que sabe que não será salvo. “Eu tenho medo do arrebatamento”, disse ele que crê na Bíblia.

“Como eu fui evangélico até os 18 anos eu acho que ele [Marco Feliciano] está certo e eu estou errado”, disse ele a respeito da homossexualidade. “Eu acho que os gays até podem morar junto, mas não devem se expor como muitos estão se expondo”.

O jovem tem um namorado e mesmo assim sonha em um dia deixar o homossexualismo, pedindo ajuda dos evangélicos para orar por ele, além de demonstrar carinho. “Eu sempre choro e sofro”, disse ele.

A história que Robson narra pode ser a mesma que milhares de homossexuais passam não só no Brasil como no mundo, já que o preconceito existe.

Na opinião do jovem ele nasceu dessa forma, mas sabe que através de Deus ele pode mudar sua orientação sexual. Ele diz também que não se sente a vontade em demonstrar afeto em locais públicos, pois sabe que a sociedade não está preparada para ver as relações homoafetivas.

Assista:



O guarda de israel com informações do Gospel Prime

Lista das 10 postagens mais populares desde à criação do Blog

Pegue uma Bíblia e descubra Como ir para o Céu

O plano de Deus para a sua salvação

Primeiro você precisa saber:

1) Boas obras não salvam (Efésios 2:8,9 / João 14:6 / Tito 3:4-7)

2) Todos pecaram inclusive você (Rom 3:23)

3) E por isso todos estão indo para a morte eterna (o Inferno) (Rom 6:23)

4) Mas Deus nos amou tanto que enviou Jesus Cristo para nos salvar (João 3:16 / João 14:6 / Romanos 5:8 / Lucas 5:32)

E assim se você...

1) ... se arrepender e confessar que é pecador, (2 Cor 7:10 / 1 Jo 1:9)

2) ... crer que Jesus é o Filho de Deus (Rom 10:9)

3) ... e pedir a Ele: “Jesus me perdoa, me salva! (Rom 10:13 / Lucas 23:33-43)

Então você será salvo!

1) Todos os seus pecados serão perdoados e lavados pelo sangue de Jesus (I João 1:7 / Marcos 1:40-42)

2) Você terá vida eterna no céu com Deus (João 3:16 / João 14:2-6)

3) A salvação não se perde jamais (João 10:27-30)

“Eis aqui agora o dia da salvação” (2 Cor 6:2)

Ninguém sabe quanto tempo vai viver, não adie a maior decisão que você tem a tomar na vida. Converse com Deus em uma oração simples, se arrependa, confesse, creia e clame “Jesus me perdoa, me salva, me lava, me transforma!” E assim você poderá ter absoluta certeza da salvação.

Fonte: Editora Elim – www.editoraelim.com.br – (21) 2415-7923

FOLHETO: ESTA FOI A SUA VIDA!

VOCÊ TEM UM TEMPINHO PARA VER?

PAÍSES QUE PASSARAM POR AQUI: QUASE 160

free counters